Artigos

 

30.05.2016

Temer perante a contradição da pressa

Por Germano Rigotto


Tenho falado sobre o pouco tempo que o governo Temer possui para gerar um clima de confiança política e econômica no país. Por enquanto, a desconfiança segue sendo majoritária no sentimento das pessoas. Na área da economia, apesar da positiva aprovação de uma nova meta fiscal pelo Congresso, a equipe econômica ainda não teve tempo ....


23.05.2016

A falência do sistema e seus exemplos

Por Germano Rigotto


Preciso voltar a um assunto que tem sido recorrente em meus últimos artigos: o nosso presidencialismo de coalizão. Ocorre que, tanto o afastamento de Dilma quanto os primeiros dias de Temer, são fartos em exemplos de quão contraditório e ultrapassado é o sistema de governo do Brasil. O presidencialismo, por si só, está em desuso ....


16.05.2016

Economia: muitos desafios, pouco tempo

Por Germano Rigotto


Os desafios econômicos são muitos, e o governo Temer tem pouco tempo para enfrentá-los. Alguns casos dependem de mera sinalização. Outros ajustes, no entanto, são estruturais e levarão mais tempo para acontecer. Demandam estudos profundos, planejamento e negociações com os setores envolvidos. Em todos os casos, se faz necessário um alinhamento orgânico com o campo ....


9.05.2016

Presidencialismo de coalizão, uma fábrica de contradições

Por Germano Rigotto


Dois dos principais elementos da política são as pessoas e as regras institucionais. A qualidade da democracia de um país passa por essas dinâmicas. No caso do Brasil, os sucessivos escândalos de corrupção são indesculpáveis sob qualquer ponto de vista. A origem dos desvios é deliberada. A conduta antiética ocorreu porque pessoas optaram por ela. ....


2.05.2016

Os dois lados de uma transição abrupta

Por Germano Rigotto


A transição entre os governos Dilma e Temer não será convencional. Primeiro, porque será abrupta. Assim que o afastamento da atual presidente for confirmado, em seguida ela deve deixar o cargo. Ato contínuo, o vice assume o posto de titular. Não há tempo para a ambientação de quem chega. Além disso, o novo governo começa ....


25.04.2016

Os desafios de um novo governo

Por Germano Rigotto


Em se tratando de política e economia, projeções sempre têm grande margem de erro. Na fase em que se encontra o Brasil, tanto mais. É muito difícil fazer qualquer desenho sobre o que vem pela frente, num cenário de assunção provisória de Michel Temer ao posto de presidente. É razoável, diante do que se depreende ....


11.04.2016

Boas iniciativas sucumbem à falta de governabilidade

Por Germano Rigotto


Graves crises, como a que vivemos, fazem com que até mesmo as boas iniciativas acabem subaproveitadas. É o caso do programa Brasil Mais Produtivo, capitaneado pelo ministro Armando Monteiro Neto, do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC). O objetivo é aumentar em pelo menos 20% a produtividade das pequenas e médias indústrias que se inscreverem ....


4.04.2016

Crise: falência dos partidos e carência de líderes

Por Germano Rigotto


Toda crise tem suas lições. A que estamos vivendo não é diferente. Ela é especialmente pedagógica ao mostrar algumas das principais mazelas que enfrenta o país. A falência do sistema político é um dos exemplos mais escancarados disso. Claro, que, como já demonstrei diversas vezes em meus espaços, a corrupção não pode desculpar-se ou mesmo ....


28.03.2016

O alerta da indústria: o Brasil tem pressa!

Por Germano Rigotto


É preciso superar a crise política, sem dúvida. É preciso enfrentar a crise econômica, igualmente. É preciso fazer reformas estruturais, idem. Mas nada disso pode passar ao largo de uma solução para o lento, penoso e prejudicial processo de desindustrialização que o Brasil enfrenta há anos. O histórico de nações que se desenvolveram depois de ....


21.03.2016

O impeachment precisa andar. E Cunha precisa sair

Por Germano Rigotto


O processo de impeachment está posto. Depois de seguir as tramitações legislativas preliminares, agora precisa seguir seu curso. Do ponto de vista formal, é um caminho sem volta. Política e socialmente, possui legitimação. Não há como ignorar esse ambiente, sem deixar de respeitar todas as normas constitucionais e regimentais em vigor. O governo, até aqui, ....