Artigos

 

27.06.2011

Para além do berço esplêndido

Por Germano Rigotto


A figura do berço remete a conforto e aconchego maternal. Também a certezas e comodidades. Se alguém “tem berço”, para o imaginário popular, é porque nasceu com mais chances de prosperar. Porém, e isso o povo também sabe, essa condição nem sempre garante uma vida adulta saudável e bem-sucedida. Que o diga a Parábola dos [&hellip....


20.06.2011

Ainda falta o dever de casa

Por Germano Rigotto


O vulcão da última crise financeira internacional continua em erupção. Engana-se quem pensa que suas labaredas acabaram. Tanto é assim que as cinzas permanecem chegando até nossos ares e tumultuando o cenário local. Não bastasse isso, preocupa ainda mais a constatação de que algumas das principais causas do recente turbilhão sequer foram sanadas. Nos últimos [&hellip....


13.06.2011

Judicialização: amargo remédio da omissão

Por Germano Rigotto


O Brasil vive, não é de hoje, o fenômeno da judicialização da política: questões que deveriam ser normatizadas nas instituições representativas da sociedade, especialmente no Legislativo, acabam transferidas para o Poder Judiciário. Isso normalmente ocorre por omissão do próprio Parlamento, que dá as costas para certas pautas públicas e permite o surgimento de lacunas....


6.06.2011

Derrubando verdades aparentes

Por Germano Rigotto


Vejamos duas assertivas econômicas que vigoraram, durante muito tempo, como sinônimo de verdade junto a uma parte da opinião pública. A primeira: há direta relação de causa e consequência entre valorização do salário mínimo e inflação. A segunda: a globalização, obrigatoriamente, vai representar o ocaso dos países menos desenvolvidos – e é preciso fechar-se a....


23.05.2011

O Brasil de quem quer trabalhar e produzir

Por Germano Rigotto


Imagine um jovem recém-formado, ambicioso e cheio de disposição para trabalhar. No entanto, por razões que não dizem respeito à sua competência e ao seu esforço, ele sofre na empreitada. Ora os pais não lhe permitem conhecer a vida real, por excesso de proteção. Ora não lhe encorajam para as dificuldades do mundo, por receio [&hellip....


16.05.2011

Aeroportos: para antes e depois da Copa

Por Germano Rigotto


É um equívoco focalizar a questão aeroportuária brasileira apenas na perspectiva da Copa do Mundo de 2014. Isso pode até ser um belo mote para que o País avance mais depressa, mas jamais esgota os motivos sobre a necessidade de modernização e ampliação dos nossos aeroportos. Sequer precisaríamos referir o Brasil que queremos. Antes disso, [&hellip....


9.05.2011

Menos simples do que parece

Por Germano Rigotto


É compreensível o estardalhaço midiático comandado pelos Estados Unidos para anunciar a morte de Osama Bin Laden. Internamente, caçar o terrorista foi uma resposta às famílias das vítimas que clamavam por justiça. Tanto os setores conservadores quanto os mais progressistas estavam alinhados ao propósito de liquidar o líder talibã. Havia um valor simbólico para os [&hellip....


21.04.2011

Só comissão não faz reforma

Por Germano Rigotto


A criação de duas comissões para debater a reforma política, na Câmara dos Deputados e no Senado Federal, embora seja uma iniciativa com aspectos meritórios, nasce com esse viés contraproducente: não é razoável que as duas casas legislativas, cada uma para o seu lado, discutam modelos distintos. O ideal seria uma comissão mista, integrando senadores [&hellip....


18.04.2011

Progresso e a demanda por incentivo

Por Germano Rigotto


A essência do progresso está no movimento, na ação, na pró-atividade. Ao redor de todo o globo, as experiências econômicas bem-sucedidas possuem fórmulas diferentes entre si, mas compartilham esse denominador comum. Tal lógica pode ser observada tanto em governos que promovem soluções inovadoras para problemas de longa data, quanto em empresas que investem pesado em [&hellip....


11.04.2011

Por uma nova relação com a China

Por Germano Rigotto


O estabelecimento de relações desiguais entre nações fez surgir o que a história chamou de neocolonialismo – que se estendeu do século IXX ao início do XX e contrapôs a Europa à Ásia e à África. Potências industrializadas exportavam seus produtos manufaturados aos países menos desenvolvidos. Em troca, importavam commodities e apropriavam-se de territórios alheios.....