Artigos

 

24.04.2017

Guerra fiscal: pelo fim de uma disputa sem sentido

Por Germano Rigotto


A guerra fiscal é uma contradição em si mesma. Ora, existir uma disputa de ordem fiscal, no ambiente interno de uma federação, entre alguns de seus membros, é uma clara discrepância. O conjunto dá sentido a uma nação federada; não poderiam as atitudes individuais, pois, sobreporem-se ao interesse coletivo. Trata-se de um jogo de perde ....


17.04.2017

Como mudar estruturalmente a Constituição?

Por Germano Rigotto


Vamos olhar para o que aconteceu no Brasil, em termos de processos sociais e institucionais, nos últimos anos. As manifestações de rua, a partir de 2013, flagraram um enorme hiato entre a opinião pública e as suas representações de poder, em suas diferentes nuances. Por mais que os protestos fossem contra os governos do PT, ....


10.04.2017

Absurdos a mudar (foro privilegiado). E outros que não podem nascer (voto em lista)

Por Germano Rigotto


Fases de crise, questionamento e transição, como esta que estamos vivendo, são terrenos férteis para mudanças. Todavia, nem sempre os ajustes podem ser tão alvissareiros quanto se desejava. Ocorre que, diante da passionalidade e da pressão da opinião pública, é comum que casas legislativas cometam grandes equívocos. Medidas conjunturalmente populares podem transformar-se em....


3.04.2017

Contas públicas: entre erros e acertos

Por Germano Rigotto


Nenhuma economia se sustenta sem confiança. E não há confiança que resista sem responsabilidade fiscal. Mexer nessa dinâmica, mudando do círculo vicioso para o virtuoso, é o primeiro passo para qualquer estratégia de recuperação de um país. Não se faz gestão da economia com desordem, empirismo e populismo. O acerto do atual governo, nesse ponto, ....


27.03.2017

Concessões de aeroportos: caminho a seguir

Por Germano Rigotto


Há diversos fatores que promovem a dinâmica do investimento. Em termos macroeconômicos, o principal deles é a confiança. O Brasil, aos poucos, recupera esse atributo. E, imediatamente, é possível perceber uma movimentação, mesmo que incipiente, de canalização de recursos privados para o país. A fórmula é simples: se o investidor confia que um negócio dará ....


20.03.2017

Reforma política: qual, quando e como

Por Germano Rigotto


Nenhuma reforma política motivada por interesse momentâneo, específico ou circunstancial pode prosperar. Se esse for o sentido dos últimos movimentos ocorridos em Brasília, é certo que os formadores de opinião, a imprensa e a população se erguerão contrariamente. Não há dúvida de que o atual modelo está esgotado, isso é praticamente um consenso na sociedade ....


13.03.2017

Controlar gastos e crescer

Por Germano Rigotto


O ajuste fiscal é precondição para o país sair da crise. Não há escapatória sem passar por esse caminho, mesmo que muitos teorizem em sentido contrário. Mas discurso não resolverá, e sim pragmatismo e responsabilidade. A propósito, toda esta situação é fruto justamente da falta de responsabilidade na gestão econômica. Agora se impõe reorganizar a ....


6.03.2017

Os Estados, a União e a recuperação fiscal

Por Germano Rigotto


Não se vence uma crise, especialmente da dimensão desta que se instalou no Brasil nos últimos anos, com medidas apenas genéricas ou específicas. Ambas são necessárias. Isto é, produzir soluções para a micro e a macroeconomia. Cuidar da conjuntura e da estrutura. Agir de maneira concisa e difusa. No curto, no médio e no longo ....


19.12.2016

Um 2017 de superação e de virada!

Por Germano Rigotto


Todos sabem que tenho muitos anos de experiência na condição de observador social, por assim dizer. Na política, fui de vereador a governador do Estado. Passei pela Assembleia Legislativa e pela Câmara dos Deputados. Na trajetória profissional, além de cursar odontologia e direito, fui professor de cursinho pré-vestibular. Todas as minhas atividades, portanto, sejam públicas ....


12.12.2016

Constituinte Revisora Exclusiva: melhor resposta à crise generalizada

Por Germano Rigotto


A crise persiste – tanto a política quanto a econômica. As expectativas, que chegaram a ter um viés de alta logo depois da posse definitiva do presidente Temer, agora novamente apontam para baixo. Mesmo a boa nova da queda da inflação, surgida na última semana, não foi capaz de inverter a tendência. Um conjunto de ....